Início » Juros dos cartões: pagamento mínimo ou parcelar a fatura?

Juros dos cartões: pagamento mínimo ou parcelar a fatura?

Antes de tomar uma decisão, os consumidores devem considerar o valor total da dívida, os juros dos cartões e as outras opções disponíveis

A+A-
Reset
DestaqueEconomia

Com as taxas de juros dos cartões de crédito em destaque, sempre surge a pergunta “é melhor pagar o mínimo ou parcelar a fatura”? Questão crucial para muitos consumidores que buscam equilibrar suas finanças. Optar pelo pagamento mínimo pode parecer uma solução rápida. Contudo, pode levar a um acúmulo de dívidas devido aos altos juros cobrados pelas operadoras de cartão. Por outro lado, parcelar a fatura pode oferecer uma alternativa mais acessível, permitindo que os consumidores distribuam o pagamento ao longo do tempo. Nesse sentido, evitando encargos elevados.

Juros do cartão

Teto para os juros rotativos do cartão de crédito não afetará lojistas. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Ao escolher entre pagar o mínimo ou parcelar a fatura, é essencial considerar o impacto financeiro de cada opção a longo prazo. O pagamento mínimo pode resultar em uma dívida crescente devido aos juros exorbitantes. Enquanto o parcelamento da fatura pode proporcionar um alívio financeiro imediato, desde que os pagamentos mensais sejam feitos integralmente e dentro do prazo estabelecido. Portanto, os consumidores devem avaliar suas capacidades financeiras e tomar uma decisão consciente com base em sua situação individual.

Planejamento nunca é demais

É importante ressaltar que a escolha entre o pagamento mínimo e o parcelamento da fatura deve ser feita com cautela e planejamento financeiro. Antes de tomar uma decisão, os consumidores devem considerar sua capacidade de pagamento, o valor total da dívida, as taxas de juros do cartão e as outras opções disponíveis. Além disso, buscar orientação financeira profissional pode ajudar os consumidores a entender melhor suas opções e tomar decisões mais informadas.

Em resumo, ao lidar com os juros do cartão de crédito, é fundamental tomar uma decisão que esteja alinhada com as metas financeiras e o bem-estar geral do consumidor. Tanto o pagamento mínimo quanto o parcelamento da fatura têm suas vantagens e desvantagens. Cabe a cada indivíduo avaliar cuidadosamente sua situação financeira e tomar a melhor decisão para suas necessidades e circunstâncias específicas.

juros dos cartões

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Juros dos cartões

A taxa média de juros no rotativo do cartão de crédito para pessoas físicas atingiu 421,3% ao ano em março. Esse foi o maior índice desde dezembro de 2023, quando estava em 442,1%. O Banco Central divulgou, no dia 3 de maio, os dados do relatório de Estatísticas Monetárias e de Crédito. O aumento evidencia uma tendência preocupante de juros elevados nessa modalidade de crédito.

Para conter esse problema, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabeleceu, em dezembro, uma regra que limita os juros do rotativo a 100% do valor da dívida. A regra passou a valer no dia 3 de janeiro de 2024. Com essa medida, uma dívida de R$ 200 não poderia exceder R$ 400 apenas devido a juros. Contudo, como mostram os dados do Banco Central, os consumidores ainda enfrentam taxas consideravelmente altas.

cartão de créditoEconomiaO Brasilianistataxa de juros

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais