Início » Juros dos cartões: como saber se estão sendo abusivos

Juros dos cartões: como saber se estão sendo abusivos

A taxa média de juros dos cartões de crédito para pessoas físicas atingiu 421,3% ao ano em março

A+A-
Reset
DestaqueEconomia

Apesar da regulação destinada a proteger os consumidores, os juros dos cartões ainda assombram muitas pessoas. As operadoras de cartão de crédito praticam taxas de juros abusivas, tornando essa modalidade a mais onerosa no Brasil. Essa cobrança pode levar os consumidores a um ciclo de endividamento preocupante, tornando essencial avaliar cuidadosamente a capacidade de pagamento das faturas. Além disso, os encargos decorrentes de atrasos.

Juros dos cartões

Cartões de crédito – Foto: Freepik

Existem alguns sinais claros que podem ajudar a determinar se você está sendo sobrecarregado com encargos excessivos. Primeiramente, é fundamental estar ciente das taxas de juros médias praticadas pelo mercado. O site do Banco Central oferece tabelas atualizadas com essas taxas, permitindo uma comparação direta com o que você está sendo cobrado.

Se os juros cobrados pelo seu cartão de crédito forem significativamente mais altos do que a média do mercado, isso pode ser um indicativo de que você está lidando com juros abusivos.

Para se livrar dos juros abusivos, é crucial identificar a situação e buscar orientação legal. Consultar um advogado especializado em questões de juros abusivos pode ajudar a determinar se a cobrança é injusta e, em seguida, decidir entre negociar diretamente com a instituição ou buscar assistência legal para contestar os encargos excessivos na justiça. Contudo, a negociação direta muitas vezes não é eficaz, tornando a intervenção legal uma escolha mais segura para evitar continuar pagando juros altos de maneira inadvertida.

Juros do cartão

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Juros dos cartões

A taxa média de juros no rotativo do cartão de crédito para pessoas físicas atingiu 421,3% ao ano em março. Esse foi o maior índice desde dezembro de 2023, quando estava em 442,1%. O Banco Central divulgou, no dia 3 de maio, os dados do relatório de Estatísticas Monetárias e de Crédito. O aumento evidencia uma tendência preocupante de juros elevados nessa modalidade de crédito.

Para conter esse problema, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabeleceu, em dezembro, uma regra que limita os juros do rotativo a 100% do valor da dívida. A regra passou a valer no dia 3 de janeiro de 2024. Com essa medida, uma dívida de R$ 200 não poderia exceder R$ 400 apenas devido a juros. Contudo, como mostram os dados do Banco Central, os consumidores ainda enfrentam taxas consideravelmente altas.

Banco Centralcartão de créditoEconomiaO Brasilianistataxa de juros

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais