Início » Comércio varejista tem estabilidade em outubro: veja o que influenciou o resultado
Economia
A+A-
Reset

Comércio varejista tem estabilidade em outubro: veja o que influenciou o resultado

Comércio varejista tem variação de -0,3% em vendas na passagem de setembro e outubro, após aumentar 0,5% no mês anterior. De acordo com dados divulgados, nesta quinta-feira (14), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor tem acumulado crescimento de 1,6% no ano e de 1,5% em 12 meses.

Leia mais! Vendas no comércio crescem depois de variação negativa, diz IBGE

Comércio varejista tem estabilidade no mês de outubro

Comércio varejista tem estabilidade no mês de outubro – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Do mesmo modo, o varejo opera 4,4% acima do patamar pré-pandemia, registrado em fevereiro de 2020. Entretanto, o setor tem estado 2,0% abaixo do maior nível da série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), atingido em outubro do mesmo ano. 

Comércio varejista: oscilação

Em análise, o gerente da pesquisa Cristiano Santos explica que a atividade que mais teve influência para o crescimento foi o de produtos farmacêuticos. Em contrapartida, o gerente afirmou que a atividade de equipamentos e materiais de escritório puxaram o resultado para baixo. 

A atividade que puxou mais para baixo foi a de equipamentos e materiais para escritório, mas também tivemos atividades de maior peso como hiper e supermercados e combustíveis puxando para baixo. Já no campo positivo, o que influenciou para cima foi a atividade de artigos farmacêuticos. A atividade de livros e jornais teve uma variação mais alta, mas tem pouco peso –  explica Santos.

Mulher caminha em corredor de mercado: comércio varejista teve baixa entre supemercados

Foto: EBC/Arquivo

Leia mais! Brasil e Índia avançam comércio bilateral de produtos agrícolas

De acordo com a gestor, no caso do varejo ampliado o volume de vendas variou -0,4% entre setembro e outubro. Bem como, atividades de veículos, motos, partes e peças, que obtiveram crescimento de 0,3%. Entretanto, as atividades de atacado especializado em alimentos, bebidas e fumos influenciaram negativamente o índice geral. 

Recuo das vendas

O comércio varejista mostrou resultados negativos entre setembro e outubro em 17 das 27 unidades da federação. Conforme os dados, as regiões que mais sofreram queda foram Rio de Janeiro (-2,0); Santa Catarina (-1,4) e Mato Grosso do Sul com (-1,3). Todavia, 10 estados tiveram resultados positivos e em destaque ficou Bahia (1,9), Tocantins (1,9) e Maranhão com 3,1. 

Para a mesma comparação, no comércio varejista ampliado, a variação entre setembro e outubro de 2023 foi de -0,4% com resultados negativos em 11 das 27 unidades da federação, com destaque para: Mato Grosso do Sul (-2,4%), Rio de Janeiro (-2,3%) e São Paulo (-1,9%). Por outro lado, pressionando positivamente, figuram 14 estados, com destaque para Rondônia (4,3%), Pernambuco (3,8%) e Tocantins (2,4%). Rio Grande do Norte e Mato Grosso apresentaram estabilidade (0,0%) na passagem de setembro para outubro.

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00