Foto: Republicanos/ divulgação

Os ministros Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e Tarcisio de Freitas (Infraestrutura) assinaram, nesta segunda-feira (28), a ficha de filiação ao partido Republicanos. Em seu discurso, Tarcísio afirmou que o Republicanos é um “partido de valores e de propósitos”, enquanto Damares defendeu a legenda como inclusiva e que prega valores como “Deus, pátria, família e liberdade”. A ministra disse ainda que a sigla não permitirá violência política contra a mulher, acenando à maior fatia do eleitorado e aquele que mais resiste a Bolsonaro.

A legenda, que chegou a ensaiar um rompimento com o governo, voltou a demonstrar apoio depois que políticos relevantes prometerem ingressar na sigla. A insatisfação foi vocalizada pelo presidente da sigla, Marcos Pereira, num momento em que o PL, partido de Jair Bolsonaro, passou a receber um grande número de aliados de Bolsonaro, enquanto o Republicanos quase não recebeu deputados durante a janela partidária. Manter o apoio do partido, ligado à igreja Universal, é fundamental para que Bolsonaro mantenha também o apoio de uma das suas bases mais importantes, a evangélica.

Após a ameaça de romper o tripé de apoio ao governo no Congresso, nomes como Damares e Tarcísio foram prometidos à legenda. Ambos são vistos como potenciais candidatos, capazes de puxar votos. Outra demonstração da aliança com o partido foi a presença da primeira dama, Michele Bolsonaro, que compôs a mesa do evento de filiação. Também esteve presente o vice-presidente, Hamilton Mourão (Republicanos), que mesmo escanteado pelo presidente já declarou que irá apoiá-lo.

Damares deve confirmar o cargo ao qual vai concorrer até o fim da semana, mas a aposta é de que ela concorra a uma cadeira no Senado, enquanto Tarcisio será candidato ao governo de São Paulo.

Autor

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.