Eduardo Leite
Fotos: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

Há uma expectativa nos bastidores de que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), anuncie ainda nesta quinta-feira (24) seu futuro político. Ao O Brasilianista, o governador disse “ter disposição de encarar o projeto nacional” mas que segue conversando para “entender como e qual o melhor caminho”, o que indica que ele pode adiar o anúncio. A decisão, no entanto, precisa ser tomada até o dia primeiro de abril, quando fecha a janela partidária.

Cortejado pelo PSD para liderar a campanha ao Palácio do Planalto, o tucano passou a considerar permanecer no PSDB depois de uma carta aberta, assinada por caciques e integrantes do partido, sinalizar que Leite pode ser o candidato da legenda nas eleições.

Aliados do gaúcho defendem que o governador substitua João Dória na corrida eleitoral, já que o desempenho do atual pré-candidato continua tímido e abaixo do ideal para seguir na disputa. O governador de São Paulo também enfrenta uma alta rejeição segundo as pesquisas. A ideia que circula no tucanato é de que Leite seja escolhido oficialmente nas convenções da legenda.

Carta para Leite

O governador do Rio Grande do Sul recebeu uma carta, na última semana, de seus colegas do PSDB pedindo para que ele continue no partido. A carta é assinada pelo atual presidente do PSDB, Bruno Araújo, por ex-presidentes da sigla, por deputados, senadores e governadores tucanos.

Eduardo Leite avalia sair da legenda para poder concorrer às eleições presidenciais de 2022 pelo PSD, já que o governador de São Paulo, João Dória, é pré-candidato à vaga pelo PSDB.

Autor

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.