Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB). Fotos: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), está decidido a deixar o cargo e se candidatar à Presidência, seja pelo PSDB ou PSD. A afirmação foi dada ao O Brasilianista pelo ex-senador tucano José Aníbal, que se reuniu com Leite na última terça-feira (22).

Aníbal, que já presidiu o PSDB, lidera o grupo que articula a permanência de Leite no partido. “O fato é que a nossa carta pedindo a ele que não deixe o PSDB, teve um impacto muito positivo. Ela se tornou um amplo movimento no no partido. A cada dia mais parlamentares estão aderindo, além dos ex-presidentes do partido e isso vai se acentuar a partir do dia 2 (prazo final da janela eleitoral).”

O ex-senador disse que as últimas pesquisas reiteraram que o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), não avançará nas intenções de votos. “Ele está inviabilizando a montagem de chapas. Então, não tem mais apoio nem em seu grupo. Agora ele acaba de queimar o ativo que tinha com as vacinas”, avaliou, citando a liberação de máscaras no estado.

Nas prévias internas do PSDB, Dória venceu, mas, de acordo com Aníbal, o partido teria outros mecanismos para impedir a candidatura de Dória. Como as convenções ainda não foram realizadas, evento ao qual é decidido de fato quem será o candidato pelo partido, ainda existe chance de Eduardo Leite ser candidato à presidência da República pelo PSDB, defende.