Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Foto: Pedro Gontijo/Senado Federal

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciou, nesta quarta-feira (9), que não irá concorrer à presidência da República. Com isso, aumenta a expectativa de Gilberto Kassab em relação ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que pode deixar o PSDB e se filiar ao PSD para concorrer ao Palácio do Planalto.

“Meus compromissos como presidente do Senado e com o país são urgentes, inadiáveis e não permitem qualquer espaço para vaidades. Por isso, afirmo que é impossível conciliar essa difícil missão com uma campanha presidencial”, discursou.

Com a desistência de Pacheco, o PSD tem o caminho livre agora para receber Leite. Mas, para isso, o governador precisa se filiar até 2 de abril para disputar a Presidência. Leite foi derrotado pelo governador de São Paulo, João Doria, nas prévias tucanas do ano passado.

O partido já prepara o anúncio da filiação e da candidatura do governador do Rio Grande do Sul. Ele retorna dos Estados Unidos no fim de semana e a expectativa é que a formalização ocorra a partir da semana que vem.

Autor

  • Jornalista pela Universidade Católica de Brasília. Nascida em Brasília-DF, tem passagem como repórter na Rádio Senado. No site O Brasilianista cobre política e economia.