Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Tecnologia seria “uma nova forma de representação da moeda já emitida”, explica BC

O Banco Central (BC) criou um grupo de estudo para avaliar a criação de uma moeda digital no Brasil. A informação foi comentada pelo presidente da instituição, Roberto Campos Neto, durante uma transmissão para falar sobre o Pix, o novo sistema de pagamentos anunciado pelo BC.

“Temos um projeto de simplificação dos processos de fechamento de câmbio que vão culminar em uma moeda conversível. Lá na frente a gente enxerga um mundo mais digitalizado, inclusive com uma moeda digital”, declarou.

Leia mais:

De acordo com uma nota do BC, a criação de uma CBDC (“central bank digital currency”, ou “moeda digital do banco central”) “pode ser uma possibilidade para aprimorar o modelo vigente das transações comerciais entre as pessoas e mesmo entre países”.

O grupo de estudo vai analisar qual será o possível efeito de uma moeda virtual, levando em conta os desafios do contexto nacional e os riscos de segurança cibernética.

“Uma CBDC distingue-se de criptomoedas sem fidúcia (garantia) nacional, como bitcoins, porque trata-se de apenas uma nova forma de representação da moeda já emitida pela autoridade monetária nacional, ou seja, faz parte da política monetária do país de emissão”, diz a nota.