Início » STF forma maioria contra cobrança de PIS/Cofins sobre incentivo fiscal a exportações
Economia

STF forma maioria contra cobrança de PIS/Cofins sobre incentivo fiscal a exportações

A+A-
Reset

Nesta segunda-feira (18), o Supremo Tribunal Federal (STF) decide sobre a incidência do Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre o crédito presumido de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), decorrente de exportações.

Há poucas horas, o colegiado formou maioria para decidir pela não incidência dos tributos sobre o crédito presumido a exportações. 

Leia isso! Brasil amplia exportação de produtos agro para 57 novos mercados

Os ministros estão reunidos em plenário virtual e a deliberação será encerrada às 23h59 desta segunda-feira. O relator, Luís Roberto Barroso, votou para negar o recurso da União que solicita a consideração de PIS e Cofins na questão. Até o momento, os ministros Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Cristiano Zanin e Cármen Lúcia seguiram o relator. 

Barroso vota a favor de manutenção de incentivo fiscal às exportações

Relator da matéria no STF, ministro Luís Roberto Barroso. Foto: Gustavo Moreno/SCO/STF

A norma garante um incentivo fiscal concedido pela Receita Federal com o objetivo de desonerar exportações. Segundo Fachin, a legislação atual protege o produto nacional da dupla tributação, pois, no ato de exportação, ele estararia sujeito às incidências tributárias locais do país estrangeiro. O crédito presumido de IPI consiste em auxílio financeiro do Estado para incentivar a exportação. 

Leia isso! Brasil e Cuba assinam acordo para exportação de alimentos

Com isso, as empresas recebem ressarcimento de PIS/Cofins na compra de matérias-primas, produtos intermediários e materiais de embalagem de produtos destinados à exportação. 

Exportações na balança comercial

As exportações são a receita na balança comercial do Brasil com o exterior. Uma previsão da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), divulgada na quarta-feira (13), prevê uma queda das exportações de 0,6% em 2024.

Para o próximo ano, a estimativa é de que as exportações cheguem a US$ 334,517 bilhões. O cálculo para as exportações no ano de 2023, de janeiro a dezembro, é de US$ 336,532 bilhões em exportações.

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00