Início » Pesquisas apontam vantagem para Haddad e Tarcísio, mas disputa segue indefinida – Por Carlos Eduardo Borenstein
DestaqueEleiçõesGovernoUrgente

Pesquisas apontam vantagem para Haddad e Tarcísio, mas disputa segue indefinida – Por Carlos Eduardo Borenstein

A+A-
Reset

Os três principais candidatos na disputa ao Palácio dos Bandeirantes – o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), o ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o governador de São Paulo (SP), Rodrigo Garcia (PSDB) – cresceram novamente na nova rodada da pesquisa IPEC divulgada na semana passada, e se distanciaram ainda mais dos demais candidatos.

Conforme podemos observar na tabela abaixo, em relação ao levantamento anterior, Haddad cresceu quatro pontos percentuais e se mantém na liderança. Além do ex-prefeito, Tarcísio e Garcia também cresceram quatro pontos cada. Os demais candidatos seguem estagnados e apresentam baixa densidade eleitoral.

CANDIDATOS 15/08 (%) 30/08 (%) 03 a 05/09 (%)
Fernando Haddad (PT) 29 32 36
Tarcísio de Freitas (Republicanos) 12 17 21
Rodrigo Garcia (PSDB) 9 10 14
Elvis Cezar (PDT) 2 1 1
Vinicius Poit (Novo) 2 1 1
Outros 6 4 5
Brancos/Nulos 23 15 10
Indecisos 16 20 12

*Fonte: IPEC

Apesar dos três principais candidatos, vale observar que, comparado com o levantamento realizado em 15 de agosto, Tarcísio foi quem mais cresceu, tendo conquistado 9 pontos. Nesse mesmo período, Garcia ganhou 5 pontos. E Haddad cresceu 7 pontos.

Faltando cerca de 20 dias para o primeiro turno, o cenário aponta para uma disputa de dois turnos entre Fernando Haddad e Tarcísio de Freitas, reproduzindo em São Paulo (SP) a polarização nacional do lulismo com o bolsonarismo. Vale lembrar que Haddad é o candidato do ex-presidente Lula (PT) enquanto Tarcísio é o representante do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Porém, vale registrar que Rodrigo Garcia, apesar de estar 7 pontos atrás de Tarcísio, não deve ser considerado fora do jogo. Garcia vem crescendo levantamento após levantamento, mesmo que de forma menos intensa que Tarcísio, e ainda disputa uma vaga no segundo turno com o ex-ministro contra Haddad.

A Genial/Quaest também realizou um levantamento sobre as eleições em São Paulo (SP) e mostrou um quadro similar. Comparado a agosto, Fernando Haddad e Rodrigo Garcia ficaram estáveis. Já Tarcísio de Freitas cresceu 6 pontos percentuais, e hoje seria o adversário de Haddad no segundo turno. Os demais candidatos, assim como no levantamento do IPEC, apresentam baixa densidade eleitoral.

CANDIDATOS JULHO (%) AGOSTO (%) SETEMBRO (%)
Fernando Haddad (PT) 35 34 33
Tarcísio de Freitas (Republicanos) 14 14 20
Rodrigo Garcia (PSDB) 12 14 15
Vinicius Poit (Novo) 2 1 1
Outros 2 5 4
Brancos/Nulos 24 19 15
Indecisos 12 13 12

*Fonte: Genial/Quaest (02 a 05/09)

 Na pesquisa da Genial/Quaest chama atenção o equilíbrio das simulações de segundo turno. Numa eventual disputa entre Haddad X Tarcísio, a vantagem do candidato do PT é de apenas 5 pontos percentuais. Interessante observar que Haddad ficou estável nos dois últimos meses. Nesse mesmo período, Tarcísio cresceu 8 pontos.

CANDIDATOS JULHO (%) AGOSTO (%) SETEMBRO (%)
Fernando Haddad (PT) 44 44 42
Tarcísio de Freitas (Republicanos) 28 31 36
Brancos/Nulos 21 17 12
Indecisos 8 9 10

*Fonte: Genial/Quaest (02 a 05/09)

 A mesma distância – 5 pontos – é observada num eventual segundo turno entre Haddad X Garcia. De acordo com a Genial/Quaest, nos últimos 2 meses, Haddad oscilou dos pontos para baixo enquanto Garcia cresceu 8 pontos.

CANDIDATOS JULHO (%) AGOSTO (%) SETEMBRO (%)
Fernando Haddad (PT) 42 41 40
Rodrigo Garcia (PSDB) 27 32 35
Brancos/Nulos 23 19 16
Indecisos 7 9 9

*Fonte: Genial/Quaest (02 a 05/09)

Apesar de liderar os cenários de primeiro e segundo turno, a rejeição é um desafio para Fernando Haddad. De acordo com a Genial/Quaest, Haddad possui o maior índice de rejeição (49%). O índice é bem superior ao registrado por Tarcísio (21%) e Garcia (21%). Outro aspecto a ser observado é que Haddad é desconhecido por apenas 8% dos paulistas, bem inferior aos percentuais de Garcia (55%) e Tarcísio (51%).

Disputa ao Senado pode se acirrar

 As pesquisas do IPEC e Genial/Quaest divulgadas na semana passada sobre a disputa ao Senado apontaram números divergentes. No levantamento do IPEC, o ex-governador Márcio França (PSB) preserva uma vantagem de 18 pontos percentuais sobre o ex-ministro Marcos Pontes (PL), que é o segundo colocado.

CANDIDATOS 15/08 (%) 30/08 (%) 06/09 (%)
Márcio França (PSB) 20 25 31
Marcos Pontes (PL) 5 12 13
Janaína Paschoal (PRTB) 5 6 5
Aldo Rebelo (PDT) 3 3 4
Edson Aparecido (MDB) 2 2 3
Outros 12 10 8
Brancos/Nulos 18 15 14
Indecisos 23 28 20

*Fonte: IPEC

 Apesar da liderança de França, a sondagem indica o grande percentual de eleitores “sem candidato” (brancos, nulos e indecisos), que atingiu 34%.

Já no levantamento da Genial/Quaest, temos um quadro de empate técnico entre Márcio França e Marcos Pontes (ver tabela abaixo). Os demais candidatos mostram baixa densidade eleitoral. E temos, assim como o IPEC, um grande contingente de eleitores “sem candidato” (brancos, nulos e indecisos), que somam 36%.

CANDIDATOS SETEMBRO (%)
Márcio França (PSB) 25
Marcos Pontes (PL) 23
Janaína Paschoal (PRTB) 7
Aldo Rebelo (PDT) 2
Edson Aparecido (MDB) 2
Outros 4
Brancos/Nulos 19
Indecisos 17

*Fonte: Genial/Quaest (02 a 05/09)

Neste momento, Márcio França permanece como favorito. No entanto, o crescimento de Marcos Pontes não deve ser descartado, principalmente porque ele é apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00