Início » Brics: Brasil defende reformas e a iniciativa privada para o pós-pandemia
DestaqueEconomia

Brics: Brasil defende reformas e a iniciativa privada para o pós-pandemia

A+A-
Reset

O caminho para o pós-pandemia nos países do Brics – o grupo de nações emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – exigirá reformas não apenas para restaurar o crescimento, mas também para apoiar uma economia verde e inovadora. Essa foi a posição defendida pelo Brasil durante a segunda reunião deste ano dos Vice-Ministros de Finanças e Vice-Presidentes de Bancos Centrais, na última terça-feira (27).

“É essencial continuar as políticas de apoio aos mais vulneráveis e os esforços de vacinação em massa, consolidação fiscal e reformas pró-mercado. Será necessária uma cooperação reforçada entre os Brics para ajudar as economias dos países-membros a lidar mais facilmente com a transição para um mundo pós-pandêmico”, afirmou João Luís Rossi, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (Secint).

Segundo ele, a retomada das reformas estruturais, sobretudo a fiscal e a administrativa, as privatizações e o apoio temporário de curto prazo às empresas e aos mais pobres são medidas necessárias e complementares para “limitar o impacto de longo prazo da pandemia e garantir um caminho de crescimento forte e sustentável pela frente”.

Rossi ainda reforçou a importância da participação do setor privado em infraestrutura social. “Alavancar a participação do setor privado e outras fontes de financiamento inovadoras na prestação de serviços sociais deve permanecer como nossa principal prioridade”, frisou.


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00