Início » Aceleração da descoberta científica: startups de IA transformam a pesquisa e desenvolvimento

Aceleração da descoberta científica: startups de IA transformam a pesquisa e desenvolvimento

A IA está não apenas acelerando a pesquisa científica, mas abrindo novas fronteiras para o desenvolvimento de soluções mais eficazes

A+A-
Reset

Na última conferência da Egg Funder, três startups inovadoras de IA, Chromatic, Atiner e DataSpan, destacaram-se ao mostrar como a inteligência artificial está revolucionando a pesquisa científica e o desenvolvimento de novos produtos. Com um foco em tornar os processos de P&D mais eficientes e acessíveis, essas empresas estão utilizando IA para acelerar descobertas e melhorar a precisão dos resultados.

IA

Foto: Designed by Freepik

Robin Shan, chefe de engenharia da Egg Funder, iniciou o painel apresentando Annie, CTO da Chromatic. A Chromatic é um marketplace orientado por dados para a terceirização de pesquisa científica, conectando empresas de biotecnologia e farmacêuticas com organizações de pesquisa contratada. O principal produto da Chromatic, o “Sorcer”, utiliza IA para simplificar o processo de correspondência entre propostas de pesquisa complexas e os serviços de milhares de fornecedores, reduzindo o tempo de semanas ou meses para apenas alguns minutos.

Herman Trite, cofundador e CEO da Atiner Technologies, compartilhou como sua empresa está revolucionando a descoberta de materiais e moléculas com uma plataforma de IA sem necessidade de código. A Atiner oferece uma plataforma que integra automação robótica ao fluxo de trabalho de pesquisa, acelerando o processo de descoberta em várias ordens de magnitude. A empresa utiliza otimização Bayesiana e aprendizado ativo para lidar com conjuntos de dados limitados e caros, comuns nas pesquisas químicas e bioquímicas.

Por sua vez, Offer, representante da DataSpan AI, explicou como sua empresa está aplicando visão computacional para análise de dados provenientes de imagens e vídeos. Em setores como a agricultura e a manufatura, onde a detecção de doenças e defeitos é rara e os dados são escassos, a DataSpan consegue treinar modelos de IA com uma quantidade mínima de dados, utilizando técnicas avançadas como modelos de difusão para gerar imagens e vídeos que ajudam a treinar esses sistemas.

A discussão também abordou a percepção pública da IA, muitas vezes limitada a modelos de linguagem como o ChatGPT. Os participantes do painel destacaram que a IA é um campo vasto, com várias técnicas adaptadas a diferentes necessidades. Na Atiner, por exemplo, a IA é usada para otimizar processos científicos complexos com dados limitados, enquanto a DataSpan se concentra em melhorar a precisão de detecção de anomalias em setores industriais.

Finalmente, o painel refletiu sobre o impacto futuro da IA. Todos os representantes concordaram que a tecnologia tem um potencial enorme para impulsionar a produtividade e inovação em diversos setores, desde a saúde até a agricultura. Eles enfatizaram a importância de abraçar a tecnologia, garantindo que seja usada de forma ética e benéfica para a sociedade.

Com essas inovações, a IA está não apenas acelerando a pesquisa científica, mas também abrindo novas fronteiras para o desenvolvimento de soluções mais eficazes e acessíveis, prometendo um futuro onde a ciência e a tecnologia trabalhem de mãos dadas para resolver os desafios mais urgentes da humanidade.

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais