Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Em reunião com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), representantes de santas casas e hospitais filantrópicos reforçaram a necessidade da aprovação de um projeto de lei para ressarcir esses estabelecimentos pelo piso da enfermagem.

Na avaliação dessas instituições, as opções que são citadas atualmente como possíveis soluções não gerariam resultados imediatos. É o caso da legalização dos jogos de azar e da tributação da mineração.

A estimativa é que o piso gere impacto de R$ 6,4 bilhões ao ano sobre os hospitais filantrópicos. De acordo com a Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), no mês seguinte à sanção da lei 330 hospitais em cidades pequenas já podem ter as contas comprometidas a ponto de ter seu funcionamento inviabilizado.

Nesse sentido, elas defendem que os primeiros meses do novo salário seja custeado pelo redirecionamento do estoque de fundos constitucionais.