Foto: Rodrigo Paiva/Getty Images

A poucas horas da reunião da executiva do PSDB que vai selar o destino do partido na terceira via, a campanha do pré-candidato João Doria tenta manter o ex-governador na disputa que gerou ruídos e rachas no tucanato. Em nota nesta terça-feira, Doria, que rechaçou pesquisas eleitorais como critério de escolha dos candidatos, mudou o tom do discurso e passou a defender que, nos levantamentos divulgados até aqui, ele vai melhor que a senadora Simone Tebet, pré-candidata pelo MDB.

“Doria aparece nas últimas pesquisas eleitorais com o triplo da preferência em relação à pré-candidata do MDB, senadora Simone Tebet — 3% contra 1%, na média, respectivamente”, afirma a nota divulgada nesta terça-feira (17). No entanto, a comparação mostra que a diferença para Tebet está dentro da margem de erro, o que significa empate. Além do que, o dado não leva em consideração pesquisa qualitativa.

PSDB, MDB e Cidadania definiram que pesquisa qualitativa/quantitativa seria utilizada como critério para definir o candidato da terceira via. O PSDB foi o responsável por encomendar o levantamento mas, recentemente, Doria confrontou o método escolhido e ameaçou judicializar a questão caso, claro, fique de fora da cabeça de chapa.

O argumento da campanha tucana é de que os números apresentados pela última pesquisa Ipespe apontam um cenário em que Tebet seria, proporcionalmente, mais rejeitada que Doria. “Se os números apresentados repetirem o que vem sendo registrado pelas últimas pesquisas eleitorais, Doria terá vantagem sobre a pré-candidato do MDB Simone Tebet. O tucano registra maior intenção de voto e menor rejeição que a concorrente”, completa o documento. Mas, nos bastidores da terceira via, Tebet é vista como o nome que, em tese, tem mais condições de crescer por ser menos conhecida do eleitorado e com menor rejeição.

A expectativa é de que a pesquisa solicitada pela terceira via fosse apresentada nesta quarta-feira (18). Mas, diante de mais um racha no partido tucano, o futuro desse anúncio e, respectivamente, da escolha de um candidato é incerto. O fato é que no MDB, Tebet é considerada pré-candidata até as convenções do partido, em julho, independentemente do que decida o PSDB.