Milton Ribeiro
Fotos: Luis Fortes/MEC

O presidente Jair Bolsonaro (PL) exonerou o ministro da Educação, Milton Ribeiro. O ato foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira (28). De acordo com a publicação, a exoneração foi “a pedido” de Ribeiro. Milton Ribeiro estava no comando do MEC desde julho de 2020.

A demissão de Milton Ribeiro foi anunciada após revelação de um suposto favorecimento de pastores na distribuição de verbas do ministério. O esquema foi revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo.

Ainda não foi definido quem assumirá o comando da pasta. O mais cotado é o atual secretário-executivo da pasta, Victor Godoy Veiga.

Bolsonaro em defesa de Milton Ribeiro

Em sua live semanal da última semana, Bolsonaro saiu em defesa de Milton Ribeiro. O presidente argumentou que ao receber denúncias de irregularidades dos pastores que agiam em nome do ministério, Milton acionou a Controladoria Geral da União, que não encontrou indícios de participação de servidores públicos.

Jair Bolsonaro também lembrou que a CGU, por sua vez, repassou as informações para a Polícia Federal. De acordo com o presidente, Milton não poderia incriminar os pastores e tomar medidas mais pesadas sem ter provas.

“Estão fazendo uma covardia. Eu coloco minha cara inteira no fogo pelo Milton”, disse.

Bolsonaro ainda cobrou que os três prefeitos que denunciaram pedidos de propina apresentem provas e não acusem “somente da boca pra fora”.

Autor

  • Jornalista pela Universidade Católica de Brasília. Nascida em Brasília-DF, tem passagem como repórter na Rádio Senado. No site O Brasilianista cobre política e economia.