Deputado Rui Falcão Foto: Câmara dos Deputados/Pablo Valadares

 

Nesta quarta-feira (23), o deputado federal Rui Falcão (PT-SP) concedeu entrevista para o CEO da Arko Advice, Murillo de Aragão. O deputado classificou as federações como um “drible” nas coligações que foram banidas.

“O eleitor vai continuar votando num candidato, num partido ou numa federação, mas não necessariamente elegendo aquele que gostaria”, ressaltou.

Falcão destacou que se o ex-presidente Lula for eleito ele irá trabalhar com a visão de que o Brasil vive uma crise com ramificações internacionais. “O Brasil precisa de alguém com uma visão de estadista, e não alguém que se comporte como o presidente atual”.

Para Murillo de Aragão, as eleições serão definidas pelo eleitor que está no espectro político que oscila de acordo com as circunstâncias econômicas, sociais e políticas.

Ao ser questionado sobre as mudanças que ocorreram no Brasil em relação à presidência da República de 2003 e de 2022, Rui Falcão disse que, atualmente, é importante que o Brasil realize uma assembleia constituinte para estabelecer novos parâmetros, mas para que isso aconteça o Executivo tem que se emponderar.

Na avaliação de Falcão, as eleições serão marcadas por uma disputa difícil, dura e estimulada por Fake News, e que Lula terá que buscar votos daqueles eleitores que em 2018 optaram por Bolsonaro.

Autor