O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20 - que trata da reforma administrativa – na comissão especial da Câmara, deputado Arthur Maia (DEM-BA), afirmou, nesta segunda-feira (14), que defende a inclusão de funcionários públicos do judiciário na reforma. No entanto, se mostrou reticente com a ideia de incluir parlamentares (deputados e senadores).
Dep. Arthur Oliveira Maia (DEM-BA). Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20 – que trata da reforma administrativa – na comissão especial da Câmara, deputado Arthur Maia (DEM-BA), afirmou, nesta segunda-feira (14), que defende a inclusão de funcionários públicos do judiciário na reforma. No entanto, se mostrou reticente com a ideia de incluir parlamentares (deputados e senadores).

“Sou favorável à inclusão do judiciário. Entendo, também, que o governo Federal pense da mesma forma. No entanto, não será possível colocar os parlamentares na proposta. A reforma quer acabar com a estabilidade; deputados e senadores não tem um emprego garantido. Dependem das eleições. Não há como acabar com uma estabilidade que não existe”, disse Maia.

O relator da PEC 32 afirmou que pretende concluir os trabalhos na comissão especial em cerca de 60 dias.