O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20 - que trata da reforma administrativa – na comissão especial da Câmara, deputado Arthur Maia (DEM-BA), afirmou, nesta segunda-feira (14), que defende a inclusão de funcionários públicos do judiciário na reforma. No entanto, se mostrou reticente com a ideia de incluir parlamentares (deputados e senadores).
Dep. Arthur Oliveira Maia (DEM-BA). Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

O relator da reforma administrativa na comissão especial, deputado Arthur Oliveira Maia (DEM-BA), disse que deve expandir a abrangência da reforma, incluindo também juízes e procuradores. “Eu confesso que não me sentiria à vontade em fazer uma reforma administrativa apenas para uma parte do serviço público brasileiro. Portanto, vejo com muito bons olhos essa emenda que inclui os demais poderes na reforma”, disse.

O relator também disse não concordar que juízes continuem tendo direito à 60 dias de férias. “Temos que buscar dar igualdade a todos os trabalhadores brasileiros. Não pode um ter e outro não ter. Isso não cabe na minha cabeça”, declarou.

Ele também reafirmou que há disposição na Câmara para votar o fim dos supersalários antes da reforma administrativa.