O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu anular as condenações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da 13ª Vara de Curitiba. Na prática, os processos que envolvem o Triplex do Guarujá e o Sítio de Atibaia foram desconsiderados; assim, o habeas corpus devolve a elegibilidade a Lula, que volta a ser o principal nome do Partido dos Trabalhadores (PT) para a eleição de 2022. 

A decisão ocorreu na tarde desta segunda-feira (08/03) e logo repercutiu internacionalmente.

O Washington Post, um dos principais jornais dos Estados Unidos, destaca que “as condenações resultaram de um escândalo de corrupção gigantesco na gigante estatal do petróleo Petrobras, trazido à luz pela chamada investigação Lava Jato (…) no entanto, a decisão [de Fachi] fará com que o caso seja encaminhado à Justiça Federal do Distrito Federal para recomeçar do zero”. 

Já o alemão Deutsche Welle (DW), informa que é possível que o “líder esquerdista concorra novamente à presidência nas eleições de 2022”. 

A decisão do ministro Edson Fachin também foi notícia no France24, BBC, Reuters, entre outros grandes jornais do mundo.