Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Na tentativa de encontrar uma solução que não dependa do Executivo para a falta dos insumos para a fabricação das vacinas contra a covid-19, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) se reúne hoje, às 10h, com o embaixador da China Yang Wanming. A previsão inicial era que a reunião fosse realizada durante a tarde, mas o encontro, que será virtual, foi antecipado para o período da manhã. Devem participar também algumas lideranças partidárias da Câmara.

Há preocupação entre parlamentares que a próxima remessa do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), não chegue a tempo para repor os imunizantes que são aplicados atualmente. O Brasil recebe da China o IFA tanto para a fabricação da CoronaVac pelo instituto Butantan como para a fabricação da vacina de Oxford pela Fiocruz.

Atualmente, o Brasil possui 6 milhões de doses da CoronaVac, que devem ser totalmente aplicadas nos próximos dias.

Segundo parlamentares, o diálogo do Brasil com a China tem sido afetado pelas diferenças ideológicas entre os dois governos, que têm culminado em ataques públicos. Foi o caso da fala do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de que os equipamentos da Huawei poderiam ser usados pelo governo chinês para espionagem.

Na ocasião, a embaixada respondeu dizendo que Eduardo e os críticos à China iriam “arcar com as consequências negativas e carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil”.