Senador Rodrigo Pacheco. Foto: Pedro França/Agência Senado

As movimentações no Senado nesta semana já podem ter definido o resultado da eleição para a presidência da Casa, em fevereiro. Rodrigo Pacheco (DEM-MG), candidato apoiado pelo atual presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP), lidera em apoios oficiais, já tendo ultrapassado, virtualmente, um número de votos superior aos 41 necessários para que seja eleito.

Vale lembrar que o voto é secreto e traições podem ocorrer, então o número ainda não representa uma vitória definitiva.

A semana foi produtiva para Pacheco, que, no domingo, já projetava que receberia ao menos 22 votos, com o apoio do DEM (5), PSD (11), Republicanos (3) e PROS (3). Enquanto isso, o MDB ainda escolhia quem seria o candidato a enfrentar o democrata nas urnas.

Mesmo após o anúncio de Simone Tebet (MDB-MS) como candidata, a posição de liderança de Rodrigo Pacheco se firmou, com uma série de apoiamentos.

Logo na segunda-feira (11), o PT decidiu se aliar a Pacheco, somando mais 6 votos na conta do candidato. Na terça-feira (12), foi a vez do PSC, representado apenas pelo senador Zequinha Marinho (PA).

Na quarta-feira (13) quem se aliou a Pacheco foi o PP, que conta com 7 senadores. “Acreditamos que o senador Rodrigo Pacheco se identifica com os anseios progressistas de unificar o Senado Federal em torno de projetos que vão garantir a retomada do crescimento econômico do país pós-pandemia e as reformas de que o Brasil precisa”, diz a nota assinada pelo líder do partido, Senador Ciro Nogueira (PI).

No mesmo dia, o PSDB decidiu liberar a bancada para que cada senador vote no candidato que desejar. Dos 7 tucanos no Senado, 4 deles devem optar por Pacheco e 3 por Tebet.

Contudo, Rodrigo Pacheco alcançou posição confortável na corrida pela presidência do Senado nesta quinta-feira (14), quando o PDT, sigla que tem 3 senadores, declarou apoio a ele.

Assim, ao menos oficialmente, Pacheco já contabiliza 43 votos. 

Nesse cenário, mesmo se Tebet conseguir o voto de todos os partidos ainda em disputa, não vai conseguir alcançar o número de votos que Pacheco tem, pelo menos oficialmente.

Rodrigo Pacheco Simone Tebet Em disputa
Apoios oficiais PSD (11), PP (7), PT (6), DEM (5), PSDB (4), Republicanos (3), PROS (3), PDT (3), e PSC (1). MDB (15), Podemos (10), PSDB (3), Cidadania (3) PL (3), PSB (1), PSL (2)* e Rede (2)
Total 43 31 11

* O PSL anunciou a candidatura do Major Olímpio (SP), mas a tendência é que o nome seja retirado pouco antes da votação ou eliminado no primeiro turno.