Dep. Baleia Rossi (MDB - SP) concede entrevista coletiva. Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Em reunião na tarde desta segunda-feira (4) a bancada do PT decidiu apoiar a candidatura Baleia Rossi (MDB-SP) para a presidência da Câmara dos Deputados. A votação foi apertada: 28 deputados votaram pelo apoio ao emedebista enquanto 23 votaram pelo lançamento de um candidato próprio.

Junto ao PT, também vão aderir ao nome outros partidos de oposição: PSB, PDT, Rede e PCdoB. Como mostrou O Brasilianista, as siglas já haviam decidido apoiar Baleia Rossi, mas aguardavam o PT para que a divulgação fosse feita de forma conjunta.

A adesão dos partidos da oposição é negociada há meses pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mobilizador do bloco de 11 partidos criado visando a eleição que deve ocorrer em fevereiro.

A decisão do PT de apoiar Baleia Rossi foi tomada como forma de fazer frente a Arthur Lira (PP-AL), nome defendido pelo presidente Jair Bolsonaro. 

“Nós não estamos escolhendo o ideal para o PT, estamos escolhendo o que, de forma pragmática, oxigena o processo democrático no Congresso”, explicou o deputado Zé Neto (PT-BA) ao Brasilianista.

Também pesou o fato de que o PT atualmente é o partido com a maior bancada da Câmara, com 52 deputados, mas não ocupa nenhum cargo na Mesa Diretora. Por isso, na negociação pelo apoio do partido, ficou definido que a sigla será a primeira da fila na hora da divisão dos cargos, segundo o que dizem os deputados petistas. Na avaliação de parlamentares, o PT não poderia correr o risco de ficar mais dois anos sem um assento na Mesa.

Antes de declarar apoio à Baleia, a oposição apresentou uma carta com uma série de pautas a serem defendidas por Baleia Rossi. Estão na lista: a defesa da renda básica e a garantia de ferramentas para questionar o governo, como a convocação de ministros para prestar contas e a instalação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI), além de “não abrir mão dos instrumentos constitucionais para assegurar o respeito à Constituição, às leis, às instituições e à democracia”.