Foto: Will Shutter/Câmara dos Deputados

Além das eleições municipais, o atraso na votação do orçamento para 2021 é causado pela disputa política em torno da escolha do presidente da Comissão Mista do Orçamento (CMO). Enquanto a ala ligada ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer eleger o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), o centrão de Arthur Lira (PP-AL) aposta no nome da deputada Flávia Arruda (PL/DF). A disputa já tem sido tratada como uma prévia das eleições para a presidência da Câmara, que também deve estar polarizada entre esses dois grupos.

Apesar da centralidade em torno das figuras de Lira e Maia, um nome que deve sair fortalecido independente do resultado é o de Flávia Arruda.

A deputada entrou na política em 2014 de forma conturbada – ela substituiu o marido na chapa com Jofran Frejat nas eleições para o Palácio do Buriti. O ex-governador do Distrito Federal e marido de Flávia, José Roberto Arruda foi impedido de disputar por conta Lei da Ficha Limpa. Ele foi preso por envolvimento no escândalo do chamado “mensalão do DEM”, responsável por pagamentos milionários de propina.

Mesmo com o escândalo, quando disputou as eleições em 2018, Flávia Arruda conseguiu usufruir do melhor da popularidade do marido, dizendo em entrevistas que iria dar continuidade ao legado de José Roberto Arruda. Ainda assim, conseguiu construir independência de forma a não deixar os escândalos contaminarem sua imagem. Resultado: foi a candidata mais votada no DF.

“Ser esposa do Arruda tem mais bônus do que ônus. Claro que ser esposa de alguém que ainda representa um (Poder) Executivo atuante em prol dos que mais precisam é o que importa para mim. As críticas fazem parte do jogo e não me preocupo”, disse Flávia Arruda em entrevista em 2018 ao Jornal de Brasília.

Agora, a indicação de Arruda à CMO ao mesmo tempo mostra que a figura de José Roberto Arruda ainda tem força e consolida a atuação independente da deputada, que tem sido apoiada fortemente pela bancada feminina da Câmara, mesmo por parlamentares da oposição.