Início » Voto inclinado para a centro-direita nas capitais – Análise Arko
Política
A+A-
Reset

Voto inclinado para a centro-direita nas capitais – Análise Arko

Levantamento realizado pela Arko Advice com base nas pesquisas de intenção de voto para prefeito realizadas pelo Ibope em 20 capitais aponta uma inclinação do centro para a direita entre os eleitores. Mesmo que nas eleições municipais de novembro prevaleçam na agenda os temas locais, ao olharmos o conjunto das capitais é possível observar para onde a tendência de voto se movimenta.

Faltando cerca de um mês para o primeiro turno, o DEM lidera em cinco capitais: Macapá, Salvador, Curitiba, Rio de Janeiro e Florianópolis.

O PSD larga na frente em Goiânia e Belo Horizonte. O MDB aparece bem posicionado em Goiânia e Maceió, onde divide a liderança com o PSB. O PROS se destaca em Fortaleza. O Podemos, em Manaus. O PP, em João Pessoa. O Republicanos, em São Paulo, divide a liderança com o PSDB. E os tucanos mostram força em Natal, Porto Velho, Palmas e São Paulo.

Embora DEM, PSD, PROS, Podemos, PP e Republicanos se autolocalizem como partidos de centro, o comportamento dessas legendas sugere que elas estão mais próximas da direta que da esquerda. Assim, é possível notar que o voto está inclinado para a centro-direita.

Leia mais:

Conforme podemos observar, esses seis partidos lideram a disputa em 10 das 26 capitais. Se incluirmos o PSDB e o MDB nessa conta, o número salta para 16.

A centro-esquerda, através do PSB, lidera em Recife; os socialistas também dividem a liderança em Maceió e Macapá. O Cidadania concorre com vantagem em Vitória. O PDT, em Aracaju. Já a esquerda como um todo, lidera apenas em três capitais: Porto Alegre (PCdoB); Vitória (PT); e Belém (PSOL).

Interessante observar que nas capitais do Nordeste – que até pouco tempo eram o bastião do lulismo – as esquerdas estão na frente apenas em Aracaju e Recife.

Assim, ainda que a campanha esteja no início, é possível constatar que o voto nas capitais terá uma inclinação para a direita, assim como ocorreu em 2018.

Devido à influência do auxílio emergencial, é possível que essa tendência do voto para a direita se reproduza nos pequenos e médios municípios.

*Análise Arko – Esta coluna é dedicada a notas de análise do cenário político produzidas por especialistas da Arko Advice. Tanto as avaliações como as informações exclusivas são enviadas primeiro aos assinantes. www.arkoadvice.com.br

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00