Início » Chuvas no Sul: falta de investimento em prevenção agrava tragédia

Chuvas no Sul: falta de investimento em prevenção agrava tragédia

Governo federal libera recursos para desastres após chuvas no Sul, mas verba para prevenção permanece inutilizada

A+A-
Reset
DestaqueEconomia

Nas últimas semanas, as chuvas arrasaram mais de 80% dos municípios do Rio Grande do Sul. Cerca de 148 pessoas morreram, e pelo menos 538 mil estão desabrigadas, conforme a Defesa Civil.

Para que o governo realize o repasse da verba destinado a prevenção, as prefeituras ou deputados federais precisam enviar projetos. No entanto, na bancada gaúcha no Congresso, apenas a deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS) destinou emendas para a prevenção no estado.

Barragem se rompe parcialmente no Rio Grande do Sul

Chuvas no Sul reforçam um problema de investimento em prevenção – Foto: Diego Vara/Reprodução

Além disso, em um comunicado oficial no dia 2 de maio, o Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) afirmou que as cidades gaúchas que não tinham recebido recursos, precisavam apresentar planos de trabalho.

– As cidades gaúchas que ainda não receberam os recursos precisam apenas apresentar os planos de trabalho ao MIDR. Todos os recursos solicitados estão garantidos e prontos para o repasse – diz o documento, publicado no portal gov.br.

Chuvas no Sul não são exceção

Rio Grande do Sul confirma 148 mortes pelas chuvas

Dois em cada dez moradores foram afetados pelos temporais – Foto: ICICT/Fiocruz

A situação do Rio Grande do Sul não é uma exceção. De acordo com o site Contas Abertas, apenas R$ 1 milhão dos R$ 59,2 milhões destinados a emendas para ações de prevenção foram utilizados em 2024.

Sendo assim, o governo federal tende a gastar mais em ações de socorro. Entre 2018 e 2024, o investimento em repostas a desastres naturais foi de R$ 7 bilhões de reais, ante a R$ 2,7 bilhões em prevenção.

EconomiaO BrasilianistaorçamentopolíticaRio Grande do Sul

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais