Início » Arrecadação federal atinge maior valor em 30 anos. Saiba como

Arrecadação federal atinge maior valor em 30 anos. Saiba como

A arrecadação federal alcançou R$ 228,87 bilhões de reais em abril de 2024

A+A-
Reset

A arrecadação do governo federal alcançou R$ 228,87 bilhões de reais em abril de 2024, sendo o maior valor para o mês desde o início da série histórica em 1995. O montante representa um aumento real de 8,26% em comparação com abril de 2023, quando ajustado pela inflação. A Receita Federal divulgou esses dados na terça-feira (21).

arrecadação federal

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

No acumulado de janeiro a abril de 2024, a arrecadação federal atingiu R$ 892,23 bilhões em valores reais. Nesse sentido, apresentando um crescimento real de 8,33% em relação ao mesmo período do ano anterior, que foi de R$ 823,60 bilhões. Este resultado também é recorde na série histórica, indicando um desempenho robusto na coleta de receitas.

A Receita Federal atribuiu o desempenho de abril a três fatores principais. Um deles é o PIS/Pasep e Cofins, que somaram R$ 44,30 bilhões, um crescimento real de 23,38% devido ao fim da redução na tributação dos combustíveis. Já a Receita Previdenciária, com arrecadação de R$ 52,79 bilhões (+6,15%) em função do aumento da massa salarial. Além disso, o Imposto sobre Importação e IPI-Vinculado à Importação, com arrecadação conjunta de R$ 8,07 bilhões (+27,46%) devido ao aumento do volume das importações.

Entraves para arrecadação federal

As receitas administradas pelo Fisco totalizaram R$ 213,30 bilhões em abril, representando um acréscimo real de 9,08%. No período de janeiro a abril de 2024, essas receitas somaram R$ 838,07 bilhões, um aumento de 8,36%. O governo federal deixou de arrecadar R$ 41,04 bilhões em 2024 devido a renúncias fiscais, com destaque para a desoneração do IPI (R$ 7,92 bilhões), folha de salários (R$ 5,84 bilhões), bem como planos de saúde (R$ 1,11 bilhões).

A desoneração da folha de salários, que beneficia 17 setores da economia, é uma questão central para o governo de Lula (PT), que busca encerrar gradualmente esse benefício até 2028. Portanto, visando aumentar a arrecadação e equilibrar as contas públicas. O Congresso Nacional ainda precisa votar o texto que formaliza essas mudanças.

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais