Início » Auxílio emergencial a dono da Havan retrata falhas no sistema de segurança do “coronavoucher”

Auxílio emergencial a dono da Havan retrata falhas no sistema de segurança do “coronavoucher”

A+A-
Reset

O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, é um dos milhões de beneficiados do auxílio emergencial do governo de R$ 600, o “coronavoucher”. A informação foi repassada nesta terça-feira (2), e publicada pela Veja, após vazamento de dados pessoais do empresário e de outras autoridades ligadas ao presidente Jair Bolsonaro pelo grupo de hackers Anonymous.

Os hackers tentaram usar os dados pessoais de Hang para inscrevê-lo no auxílio emergencial, e o sistema atestou que o empresário já estava cadastrado, e que já havia recebido a primeira parcela do programa. Hang é listado pela revista Forbes como um dos bilionários do Brasil. Em nota, Hang condenou a divulgação dos dados e pediu que a Polícia Federal investigasse o caso.

Não é a primeira vez em que fraudes no sistema do benefício são atestadas. Em maio, o jornalista William Bonner, do Jornal Nacional da Rede Globo, disse que os dados pessoais de seu filho foram usados para o cadastro no auxílio emergencial. Além disso, jornais divulgaram que cerca de 73 mil militares receberam indevidamente os recursos.

Usamos cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o uso de cookies. Aceitar Saiba mais