A queda de preço da gasolina é apenas a ponta de um iceberg dos efeitos positivos que a redução de impostos, como o ICMS sobre energia e combustíveis, trará para a economia, segundo o ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida. 

Ele participou ontem de evento promovido pela XP Investimentos, em São Paulo e manifestou otimismo em relação aos efeitos da queda de preço dos combustíveis na economia. “Estamos vendo a ponta de um iceberg, que é a redução de preço. Mas haverá outros efeitos com a melhor alocação dos recursos na economia. Com menos imposto, temos mais produtividade, mais emprego, seja na padaria, no salão de beleza, nas grandes empresas, que vão gastar menos com energia”, disse.

O ministro afirmou que não opina sobre a formação dos preços na Petrobras, mas disse que atualmente existe uma realocação de investimentos no mundo, com recursos saindo da Rússia, Ucrânia e Ásia e migrando para “portos seguros”.

De acordo com Sachsida, ao não taxar lucros de petroleiras, como outros países estão fazendo neste momento, o Brasil deverá atrair esses investimentos. O ministro afirmou que o governo já promoveu 11 reduções de impostos e que outros deverão acontecer. Disse também privatização da Petrobras está sendo estudada, mas se trata de um tema complexo.

Adolfo Sachsida quer promover competição no setor de petróleo, como afirmou. “Um projeto desse tamanho precisa gerar competição. É preciso avançar em consenso. É isso que a sociedade brasileira quer? É melhor avançar passo a passo na direção correta”.

Autor

  • Jornalista, formado pela UFMG, em 1973. Trabalhou em O Globo, Jornal do Brasil, Jornal de Brasília, Folha de S. Paulo, Assessoria de Imprensa do Ministério da Fazenda e sub-secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República (1994 a 2003) e integrante da Assessoria Parlamentar da ANTT (2015-2021).