Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta sexta-feira (22) que o novo corte no orçamento pode chegar a R$ 8 bilhões, com abono e precatórios. A previsão supera em R$ 3 bilhões a estimativa inicial de técnicos do Ministério da Economia (R$ 5 bilhões).

O governo precisa fazer corte nos valores do orçamento aprovado para este ano, para não descumprir a regra constitucional do teto de gastos.

“É duro trabalhar com um orçamento desse, engessado. Temos esse corte extra que pode ser que chegue a quase R$ 8 bilhões”, disse Bolsonaro hoje pela manhã. “Entra aí a questão dos precatórios, entra abono, entra a questão do financiamento da agricultura também”, completou.

O prazo para o governo publicar o bloqueio termina hoje. Os números devem ser anunciados por meio do relatório de receitas e despesas, que o governo precisa publicar bimestralmente, e as áreas a sofrerem cortes devem ser detalhadas só posteriormente.

Apesar de citar despesas como abono e precatórios, Bolsonaro não detalhou quais áreas devem ser atingidas pelo contingenciamento.

“Quando chega algo que extrapolou o previsto, tenho que cortar. Vai cortar onde? Se corta na educação, reclama. Se corta na saúde, reclama”, afirmou. “Todo mundo vai ter reclamação, é natural. Mas, sou obrigado a cumprir a legislação”.

Embora o relatório normalmente expresse a necessidade de bloqueio para cumprir a meta fiscal neste ano a dificuldade é apenas no lado das despesas com o possível estouro do teto.

Autor

  • Jornalista, formado pela UFMG, em 1973. Trabalhou em O Globo, Jornal do Brasil, Jornal de Brasília, Folha de S. Paulo, Assessoria de Imprensa do Ministério da Fazenda e sub-secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República (1994 a 2003) e integrante da Assessoria Parlamentar da ANTT (2015-2021).