Foto: divulgação/Minfra

O Governo Federal, através do Ministério da Infraestrutura, na última terça-feira (28), garantiu cerca de R$ 10,470 bilhões em investimentos privados em seis terminais de uso privado (TUPs) de quatro estados brasileiros. Desde 2019, chega a 138 o número de contratos de TUP firmados pela pasta.

Assinaram os contratos o Marcelo Sampaio, ministro da Infraestrutura, em conjunto com as empresas autorizadas, que são: Louis Dreyfus Company Brasil; Terminal Portuário Logístico (TPL); Empresa Brasileira de Terminais e Armazéns Gerais (EBT) (SP); Atem’s Distribuidora de Petróleo; Lajes Logística; Porto Guará Infraestrutura. Os terminais ficam localizados nos portos de Ponta de Pedras (PA), Santos (SP), Santarém (PA), Manaus (AM) e Paranaguá (PR).

Dentre os acordos firmados, a maioria tem o objetivo de construir novos terminais, em áreas conhecidas como greenfields. As novas construções vão permitir a ampliação da capacidade de armazenamento de granéis sólidos, líquidos e gasosos, cargas gerais e conteinerizadas, além da da oferta de serviços. Dessa forma, o comércio brasileiro ganhará mais competitividade no mercado internacional. Outras vantagens previstas serão novas alternativas para as cadeias logísticas e potencialmente a redução de custos operacionais.

Segundo o Ministro, Marcelo Sampaio, os TUPs, são considerados referências positivas de modernização para os portos organizados, além de serem indutores de desenvolvimento. Ele ressalta também que o investimento de R$ 10 bi vai proporcionar ganhos a cadeia logística com mais competição e eficiência portuárias, pois terão portos mais modernos e produtivos.

Para Mário Povia, secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, os portos viraram parte da solução de problemas no Brasil, deixando de ser gargalos. Ele afirma que a legislação moderna existente em conjunto com a confiança da iniciativa privada, entrega para o setor portuário uma logística eficiente.