Senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) assina atos normativos como presidente interino da República. Com a ida do presidente Jair Bolsonaro à Georgetown, na Guiana, o presidente do Senado Federal assume o comando da Presidência da República. É a primeira vez que o senador exerce a função de forma interina. Foto: Pedro Gontijo/Senado Federal

Em evento na manhã desta sexta-feira (10), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, avaliou que, apesar deste não ser o momento adequado, eventualmente o teto de gastos precisará ser revisto. “O teto de gastos, que precisa ser comemorado, em algum momento será discutido. Não há dúvida alguma. Com o aumento das despesas e arrecadação, vamos ter que rever para ter investimentos no país. Mas neste momento do país, em que há inflação, taxa de juros e até gasolina com dois dígitos, temos que manter a responsabilidade fiscal sob pena da coisa desandar”, declarou.

A regra fiscal define que a despesa do governo não pode ser superior ao que foi gasto no ano anterior reajustado pela inflação – o que impede maiores gastos mesmo com aumento de arrecadação.

Pacheco participa nesta sexta-feira do 2º Encontro do Conselho Nacional do Poder Legislativo Municipal das Capitais (Conalec) e do 1º Encontro Paraibano das Câmaras Municipais, em João Pessoa (PB). Com a viagem internacional de Bolsonaro, Mourão e Arthur Lira, o presidente do Senado ocupa interinamente a Presidência da República.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.