Foto: Estadão Conteúdo

A possibilidade de um novo decreto do estado de calamidade é considerado improvável por fontes do governo. O Brasilianista consultou integrantes da equipe econômica e fontes do primeiro escalão que, no momento, consideram difícil o avanço do decreto.

Na quarta-feira (1º) passou a ventilar a ideia de que a calamidade seja decretada como forma do governo poder dar andamento a medidas econômicas sem se preocupar com o cumprimento do teto de gastos.

Entre as medidas estaria o fornecimento de subsídio para amenizar a alta do óleo diesel e ainda o aumento da parcela do Auxílio Brasil. A justificativa para o decreto seria a alta da inflação provocada pela guerra na Ucrânia, o que acaba interferindo em toda cadeia de produção.

Embora considerado improvável, o decreto não é descartado, já que o dispositivo pode ser uma das formas de o governo apaziguar a crítica dos eleitores que consideram a economia o principal problema da sociedade.