Lula e Bolsonaro

A nova pesquisa PoderData divulgada hoje (25) mostra, assim como apontado em levantamentos de outros institutos na semana passada, uma estabilidade da sucessão presidencial. O ex-presidente Lula (PT) lidera com 43% das intenções de voto. O segundo colocado é o presidente Jair Bolsonaro (PL) com 35%. Em relação à pesquisa anterior (8 a 10 de maio), Lula oscilou um ponto para cima (42% para 43%), índice que está dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, enquanto Bolsonaro ficou estável (35%).

O terceiro colocado é Ciro Gomes (PDT) com 5%. O deputado federal André Janones (Avante) tem 3%. A senadora Simone Tebet (MDB) tem 2%. E o ex-governador João Doria (PSDB), que aparece na pesquisa porque desistiu da pré-candidatura na última segunda-feira (23), quando estava sendo realizado o levantamento, tem 1%. Interessante observar que, em relação à pesquisa anterior, Doria caiu 3 pontos. Brancos, nulos e indecisos somam 10%.

Inicialmente, a desistência de João Doria não deve alterar a polarização Lula x Bolsonaro, que hoje concentram 78% das intenções de voto. Nota-se que, mesmo com Doria tendo perdido três pontos em 15 dias, ninguém foi beneficiado.

No entanto, temos que observar se o eleitor que declarava voto em Doria não migrará nas próximas pesquisas, por exemplo, para Simone Tebet, já que a senadora passará a ocupar espaço na mídia a partir da sua definição como o nome da terceira via.

A sucessão mostra também uma forte divisão regional e de renda. Enquanto Lula vence nas duas maiores regiões do país – Sudeste (41% a 33%) e Nordeste (57% a 32%) – Bolsonaro está na frente nas demais: Sul (37% a 33%), Norte (43% a 32%) e Centro-Oeste (50% a 33%).

Lula vence entre o eleitor com renda mensal de até 2 salários (51% a 29%) e perde para Bolsonaro entre quem recebe mais de 2 a 5 salários (40% a 35%) e também junto ao segmento com renda acima de 5 salários (42% a 35%).

Na simulação de segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 50% a 39%. A distância entre eles – 11 pontos – é a mesma da pesquisa realizada há 15 dias, quando Lula aparecia com 49% e Bolsonaro com 38%.