Banco Central
Foto: Beto Nociti/BCB

Os servidores do Banco Central decidiram manter a greve por tempo indeterminado. Isso porque o Banco Central (BC) retirou a proposta de reajuste salarial de 22%, que havia sido apresentada na quinta-feira (12).

Questionada pela Arko Advice, o BC declarou que detectou “inconsistências” no texto da minuta de medida provisória e, por isso, decidiu interromper a tramitação interna. Leia a íntegra da nota:

“O Banco Central detectou inconsistências no texto de minuta de Medida Provisória para a reestruturação das carreiras e a modernização da gestão de pessoas nesta autarquia. Por isso, fez sua retirada do Sistema de Geração e Tramitação de Documentos Oficiais do Governo Federal (Sidof)”.

Assim, o sindicato de servidores reagiu e se manteve resistente em abrir mão da greve até que uma proposta seja apresentada e que a medida provisória seja editada pelo governo.

“Entendemos que o que aconteceu foi uma trapalhada da direção do banco. Decidimos continuar a greve até que o BC apresente uma proposta oficial e até que seja editada a medida provisória”, declarou o presidente do sindicato, Fábio Faiad, à Arko.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.