Foto: Beth Santos/Secretaria-Geral da PR

Lideranças partidárias pressionam a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que participe de uma mesa de negociações sobre as tarifas de energia elétrica. Na terça-feira (3) a Câmara aprovou a urgência do PDL 94/2022, como uma forma de pressionar a Aneel a participar das negociações. O PDL propõe sustar um reajuste de cerca de 24% autorizado pela Aneel no Ceará, mas a movimentação é pela inclusão de outros estados.

“Se não tivermos essa reunião, votamos o mérito do decreto dentro de duas semanas, no máximo”, alerta o deputado André Figueiredo (PDT-CE), líder do PDT na Câmara e um dos autores dos Projetos de Decreto Legislativo (PDL) que suspendem reajuste tarifário autorizado pela agência para este ano. De acordo com o deputado, a estratégia de pressão tem o aval do presidente Arthur Lira, que estaria disposto a colocar o mérito em votação.

A avaliação é que a aprovação da urgência, que teve quase unanimidade (foram 11 votos contrários), indica um cenário favorável também ao mérito. “É um recado”, definiu uma liderança partidária. Mesmo entre governistas houve maioria favorável à urgência, apesar de orientação contrária. Em ano eleitoral, os deputados se sentem pressionados a apoiar a revisão de tarifas.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.