Ministro da Economia, Paulo Guedes. FOTO: EDU ANDRADE/Ascom/ME

O ministério da Economia explicou que a monofasia imposta pelo Confaz impediu que o preço dos combustíveis sofresse redução. A nota é uma resposta ao ofício enviado pelo presidente do Senado em que cobra uma posição do Conselho – presidido por Paulo Guedes – sobre o preço dos combustíveis.

Embora coordene o Confaz, Guedes não tem direito a voto nas decisões tomadas pelo grupo. A pasta explicou que, por unanimidade, os conselheiros dos estados e do DF aprovaram a monofasia nas operações envolvendo o diesel o que levou a não redução do ICMS ao consumidor final.

“A decisão dos conselheiros dos estados e do DF neutralizou e esvaziou os objetivos da lei, não contribuindo com os esforços de estabelecer uma tributação equilibrada e justa, conforme avaliação externada inclusive pelo presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco”, afirma a nota.

Autor

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.