José Cruz/Agência Brasil

Presidente do Solidariedade e da Força Sindical, o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, afirmou hoje, ao chegar para uma reunião com o ex-presidente Lula e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, que a ampla aliança pretendida pelo ex-presidente está em risco. Segundo ele parte do PT segue de “salto alto”. Ele tem conversado também com Eduardo Leite (PSDB) e avalia que ele ainda poderá ser o candidato tucano.

Os principais trechos da entrevista do deputado:

A vaia dos petistas:

“A vaia foi de uma parte da militância do PT. Não era povo em geral, era militante. Isso é grave e o mais grave é não ter sido defendido pelo Lula ou por alguém do PT. Isso mostra do nosso ponto de vista que a aliança que o PT imagina seja menor do que nós imaginamos. Nós imaginamos que uma aliança para ganhar do Bolsonaro precisa ser ampla, precisa ser com todos aqueles que são contra. Independente do impeachment da Dilma ou não. Aqueles que são contra deveriam estar nessa aliança. Esse é um pouco do assunto que vamos conversar com Gleisi e Lula.”Dificuldades de Lula para ampliar alianças:

“Ele Trouxe o Alckmin. Para nós foi importante, porque mostra essa possibilidade de ampliação dessa aliança, mas a vaia mostrou que o breque estava meio puxado. Do nosso ponto de vista precisa ampliar a aliança para poder chamar uma frente mais ampla possível para poder enfrentar o bolsonarismo e ganhar a eleição”.

-O salto alto:

“Não a direção do PT, mas acho que uma parte do pessoal do PT acha que já ganhou a eleição, mas a eleição não está ganha. Bolsonaro é governo e governo é igual cobra: até morto é perigoso. É preciso fazer uma ampla aliança para ganhar a eleição. E essa ampla aliança é que vamos discutir agora.

Espero que eles concordem com isso. Assim que Lula saiu da prisão ele falou disso, de fazer ampla aliança. Depois foi diminuindo. Na reunião da quinta-feira ele nem tocou nesse assunto. Precisamos que ele reafirme de novo essas possibilidades de ser ampla aliança.”

Evento cancelado:

“Nós tínhamos combinado um dia para fazer apoio da direção do partido. Esse episódio deixou algumas marcas, alguns problemas no nível nacional e a gente precisa rediscutir. Precisa de tempo.

– Eduardo Leite:

“Leite é figura importante e está se colocando no cenário político. Tem disputa interna no PSDB mas acho que Leite deve ser o candidato do PSDB, pelo o que estou entendendo. Estamos discutindo aliança com Lula. É possível ser viável. É viável até porque ele tem as mesmas propostas que defendemos. Queremos política para o salário mínimo, para os aposentados, queremos reforma da estrutura sindical. É possível acertar rusgas e estresse. Espero que não coloque em risco a aliança.”