Divulgação

Integrantes do governo reconhecem a probabilidade de pedido de vista pelo ministro do Tribunal de Contas da União Vital do Rêgo no julgamento que discute a privatização da Eletrobras, marcado para quarta-feira (20/04). No governo, o gesto é avaliado como movimento político, e não técnico, já que o parecer do ministro Aroldo Cedraz, relator do caso, ainda não foi disponibilizado, mas a vista já é dada como certa nos bastidores.

Nesse caso, o processo deveria voltar para a pauta em 60 dias, mas a negociação, segundo fontes do governo, é de que o novo julgamento ocorra na quarta-feira da semana que vem, 27/04. Isso porque, caso essa segunda fase não seja concluída até o fim do mês, a privatização da Eletrobras será inviabilizada. O regimento da corte permite antecipar a vista em casos considerados extraordinários e de interesse relevante.

Embora a data limite para concluir a operação da venda da estatal seja o dia 13 de maio, técnicos do governo trabalham com o dia 11 de maio, quarta-feira, como a provável data para concluir o processo. Isso, claro, se as expectativas de votar e aprovar a segunda etapa na semana que vem forem correspondidas

Autor

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.