Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, declarou ao O Brasilianista que o governo trabalha para manter em R$ 400 o valor do Auxílio Brasil. De acordo com Barros, a votação depende de uma reunião de líderes prevista para esta segunda-feira (18). Embora o valor do auxílio possa refletir na popularidade do presidente Bolsonaro, a avaliação é de que não há espaço fiscal para aumentar o benefício.

Com 14 itens na pauta da Câmara, a votação da Medida Provisória que institui o auxílio Brasil pode ser adiada mais uma vez. Segundo o sistema da Casa já foram sete adiamentos. Até o momento, a matéria não tem sequer um relator designado e, entre parlamentares, não há certeza de que a votação ocorra nesta segunda-feira. Apesar disso, a probabilidade é de que a medida seja aprovada e o valor atual do benefício – R$ 400 – mantido. Há mais de 50 emendas propondo, entre outras coisas, aumentar o auxílio para R$ 600 e torná-lo permanente. Caso decidam manter o benefício pago hoje como extraordinário, a partir de 2023 o valor cai para cerca de R$ 230.

Autores

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.