José Mauro Ferreira Coelho, Presidente da Petrobras. Foto: Ministério de Minas e Energia

Em meio a pressões para que a Petrobras altere a política de preços como resposta aos aumentos na gasolina e no diesel, José Mauro Ferreira Coelho, recém-empossado presidente da estatal, defendeu que a empresa atue em linha com os preços de mercado.

“A prática de preços de mercado é condição necessária para criação de um ambiente de negócios competitivos, para a atração de investimentos, para ampliação da infraestrutura do país e para a garantia do abastecimento”, disse.

José Mauro destacou ainda que a empresa seguirá com o plano de desinvestimentos, tanto com a venda de refinarias, como em campos maduros, em ativos de produção de gás e óleo.

“Com o intuito de dar continuidade ao processo da promoção da concorrência no refino, em linha com seu plano estratégico, a Petrobras segue comprometida com o desinvestimento no setor de refino de petróleo”, declarou.

Ele ainda afirmou que a empresa investirá mais na comunicação com a população e promoverá maior interação com o Congresso Nacional, com o Executivo e com governos locais. O tema chegou a ser tema de demandas de Jair Bolsonaro, que espera uma atuação mais politicamente palatável da empresa.

PETROBRAS SOCIAL


Em sua fala, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, frisou o papel da Petrobras para garantir segurança energética do país e destacou a empresa como “símbolo em matéria de responsabilidade social”. A fala foi durante a posse do novo presidente da estatal, José Mauro Coelho.

Ao fim de seu discurso Bento agradeceu a atuação de Silva e Luna, que deixou o comando da empresa após Bolsonaro demonstrar contrariedade nos reajustes recorrentes no preço dos combustíveis. Bento Albuquerque falou ainda em “compromisso para promover melhorias contínuas nos politicas voltadas para setores de gás e petróleo no Brasil”.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.