A instalação das comissões permanentes pode ser adiada para após o feriado da Páscoa. Isso porque depois do fechamento da janela partidária, uma nova disputa política tomou conta dos bastidores da Câmara. O Partido Liberal, que abrigou aliados do presidente da República , sendo a maioria oriunda do extinto PSL, passou a pressionar para que a distribuição das comissões seja feita de acordo com a nova composição partidária, o que daria ao PL o direito de escolher o presidente da CCJ. O partido se tornou o maior da Câmara, com 78 deputados.

Mas a regra para distribuir o comando dos colegiados leva em consideração o tamanho das bancadas no início da legislatura. Isso significa que o União Brasil é o detentor dessa prerrogativa, já que nasceu da fusão do PSL (maior partido em 2019) com o DEM. Qualquer movimento contrário é visto como manobra e rejeitado por parlamentares ouvidos pelo O Brasilianista. O líder do União, Elmar Nascimento, rechaça qualquer possibilidade nesse sentido. “Chance zero”, disse, sobre a possibilidade do União perder a CCJ.

Dentro do partido, os nomes dos deputados Juscelino Filho e Arthur Maia são os mais cotados para o cargo.

Autor

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.