Legenda partidária movimenta a política. Foto: Beto Barata/Agência Senado

Até sexta-feira (1/4) a política continua pautada pela janela partidária, período em que a legislação eleitoral permite que deputados troquem de partido sem perder o mandato. A movimentação entre legendas tem sido, nos últimos dias, a principal preocupação de dirigentes partidários e lideranças políticas. Não à toa, a Câmara evitou pautar temas polêmicos, já que parte dos deputados estava envolvida com a troca de partidos.

O balanço ainda não está fechado, mas dá para se ter uma ideia da movimentação entre as legendas. Desde que foi aberta a janela partidária, o PL, partido do presidente Bolsonaro, filiou 25 deputados, o União Brasil perdeu 27 e o PP recebeu 5. Embora tenha recebido o menor número de deputados, o Partido Progressista tem em seu quadro o presidente da Câmara e o ministro da Casa Civil, ambos protagonistas no governo. Enquanto Arthur Lira define a pauta da Casa, dá prioridade a matérias de interesse do Planalto e tem grande influência no orçamento secreto, Ciro Nogueira é considerado o único superministro da Esplanada e passou a ter responsabilidade sobre a destinação do orçamento da União, esvaziando poderes da equipe econômica.

Já o Republicanos, que ficou com a menor fatia do bolo, é somente a quinta maior bancada da Câmara com 41 deputados. Contudo, o partido vai filiar nesta segunda o ministro Tarcísio de Freitas, pré-candidato ao governo de São Paulo e a ministra Damares Alves, que deve concorrer ao Senado pelo Amapá. A ministra que chegou a desistir de se candidatar voltou atrás após um pedido do presidente da República. A expectativa é e que ela anuncie sua candidatura no dia 31, último dia para se afastar do cargo.

Desincompatibilização

A semana deve ser de anúncios de desincompatibilização por toda a Esplanada. Pelo menos outros nove ministros devem deixar seus cargos para concorrer a mandatos políticos. Rogério Marinho, Onyx Lorenzoni, Tarcísio de Freitas, Tereza Cristina, João Roma, Marcos Pontes, Gilson Machado, Braga Netto e Flávia Arruda estão entre os confirmados.

Autor

  • Editora-chefe na Arko Advice, desde fevereiro de 2022. Antes, atuou como repórter de política na CNN Brasil. Foi correspondente internacional em Nova Iorque pela Record TV. Atua em redação há 18 anos.