Ministro Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Ciro Nogueira. Foto: Marcos Corrêa/PR

Para o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), os partidos do “Centrão” se transformaram nos últimos anos. Em entrevista à revista Veja, o ministro defendeu que o fisiologismo que caracteriza essas siglas deixou de existir no governo Bolsonaro. Por isso, uma nova aliança com o PT seria improvável. Apesar do Progressistas, e o próprio Ciro, ter apoiado Lula em 2018, o ministro e presidente licenciado do partido garante que uma nova aliança não deve acontecer.

“Entregava-se o ministério de porteira fechada [nos governos anteriores], e hoje não existe mais isso. Também não temos mais indicações políticas em estatais. Os partidos de centro avançaram muito nesse amadurecimento político. Por isso, eu confio que jamais vamos voltar ao passado do PT porque a sociedade não vai mais aceitar que se entregue a Petrobras e o Banco do Brasil a partido político. Não haverá mais fisiologismo como se tinha no passado”, disse.

Pesquisas eleitorais

Para Ciro Nogueira, o presidente Jair Bolsonaro ainda deve reagir e crescer nas pesquisas. “A inflação vai cair e o emprego vai voltar”, declarou, ao dizer que a eleição será decidida na economia. Ele ainda citou o Auxílio Brasil como fator que pode ajudar na recuperação de Bolsonaro nas pesquisas e citou o PIX como conquista do governo atual. “É preciso ter coragem para enfrentar a Febraban (Federação Brasileira de Bancos)”, pontuou.

Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.