O presidente da República, Jair Bolsonaro, promulgou, na quarta-feira (9), a Convenção entre a Confederação Suíça e a República Federativa do Brasil para Eliminar a Dupla Tributação em Relação aos Tributos sobre a Renda e Prevenir a Evasão e a Elisão Fiscais e o seu Protocolo, assinados, em Brasília, em 3 de maio de 2018.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A pesquisa Exame/Ideia Big Data divulgada nesta quinta-feira (24) captou uma melhora na avaliação do governo Jair Bolsonaro. A desaprovação caiu cinco pontos percentuais em relação ao levantamento anterior, realizado em 13 de janeiro, e agora contabiliza 50%. A aprovação, por sua vez, teve uma oscilação positiva de dois pontos, e agora registra 29%. Outros 19% dos entrevistados não aprovam nem desaprovam o governo.

Vale registrar que a desaprovação ao governo registrada em fevereiro é a mais baixa desde agosto do ano passado, quando somava 48%. A partir de então, os percentuais negativos cresceram e sempre ficaram acima dos 50%.

A queda na desaprovação ao governo pode ser atribuída ao pagamento do Auxílio Brasil, que teve início em janeiro. Apesar deste indicador ser uma notícia positiva para o governo, o presidente Jair Bolsonaro precisa reduzir sua rejeição para ser reeleito.

De acordo com o instituto Ideia Big Data, 61% dos entrevistados afirmam que Bolsonaro “não merece ser reeleito”.

Outro aspecto importante, e que já vinha sendo observado nas outras pesquisas, é que a desaprovação ao governo (50%) é similar a intenção de voto em Lula, principalmente nas simulações de segundo turno, enquanto a aprovação da gestão Bolsonaro (em torno de 30%) é similar a intenção de voto no presidente.