Marcelo Camargo/Agência Brasil

A ministra da Agricultura e Pecuária, Tereza Cristina, embarcou nesta terça-feira (15), em missão oficial para o Irã. O objetivo da viagem é ampliar as relações comerciais do agronegócio brasileiro, como a importação de ureia iraniana e fertilizante utilizado no campo.

Durante a visita estão previstas reuniões com o Ministro da Agricultura, Seyed Javad Sadati Nejadi, e com o presidente da Comissão de Agricultura do parlamento iraniano, deputado Muhammad Askari. Além de encontros com a Câmara de Comércio Brasil-Irã e com o Fórum Empresarial entre os dois países.

A ministra também visitará a Petroquímica de Shiraz, importante produtora de adubo, e a Câmara de Comércio de Shiraz.

“O Brasil é um grande exportador de alimentos para o Irã e o Irã é um grande exportador de fertilizantes, principalmente ureia, para o Brasil. Tenho certeza de que será uma missão muito bem sucedida e muitas oportunidades de negócios surgirão”, escreveu a ministra em suas redes sociais.

No último dia 8, Tereza Cristina afirmou ter testado positivo para a covid-19. De acordo com nota divulgada pelo ministério, a ministra realizou um teste na segunda-feira (15), que resultou negativo para a doença, possibilitando a realização da viagem programada anteriormente.

Plano Nacional de Fertilizantes

A expansão dos tratados bilaterais de insumos faz parte do Plano Nacional de Fertilizantes, que o governo deve lançar em março. O plano deve trazer estratégias para serem aplicadas no setor nos próximos 30 anos de modo a aumentar a independência do Brasil em relação a insumos agrícolas. Um dos vetores do plano é a ampliação do número de fornecedores para evitar que o Brasil fique refém de um único parceiro.

De acordo como o Ministério da Agricultura, a pressão internacional e o aumento da demanda interna levaram os preços dos fertilizantes a níveis recordes em 2021. Os custos passaram de US$ 400 a tonelada — mais de R$ 2100. Em dezembro de 2020, o preço era inferior a R$ 1500.

Autor