Foto: Alan Santos/PR. Presidente da República, Jair Bolsonaro, posa para foto durante visita à locomotiva, em Anápolis (GO).

O governo federal tem um objetivo com as reformas estruturantes realizadas de 2019 até o momento: ser líder em infraestrutura de transportes na América Latina. Essa foi a declaração do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, durante o congresso Energia Renovável, Brazil Energyear, em São Paulo, na semana passada.

Os números embasam a declaração do ministro. Somente na área de transportes, serão R$ 260 bilhões de investimentos privados oriundos de contratos. Nas áreas de saneamento e telefonia, o montante chega a R$ 1 trilhão. Todo esse investimento ajudará a reduzir 35% do Custo Brasil, nos próximos 15, gerando emprego e ajudando na retomada econômica.

“O Brasil está preparado para dar um salto. Nós vamos passar uma revolução no termo de matriz de transportes, que em 15 anos vai estar muito mais sustentável, equilibrado e barato. O Brasil está vocacionado para ser líder em infraestrutura e a gente vai ser líder na América Latina. As bases para isso já estão sendo lançadas”, avaliou o ministro.

Avanços

Na ocasião, o ministro listou o trabalho desenvolvido até o momento: 34 leilões de aeroportos, 33 leilões de terminais portuários, 108 contratos de adesão de terminais privados e contratos de concessão de ferrovias e rodovias pelo país.
Neste ano, estão previstas a primeira desestatização portuária, da Companhia Docas do Espírito Santo e a próxima rodada de concessões aeroportuárias.