Pablo Vasconcelos/PSD

 

 

O deputado federal Marcelo Ramos (AM), vice-presidente da Câmara dos Deputados, oficializou nesta quarta-feira (9) sua mudança para o PSD, partido de Gilberto Kassab e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG). Ele recebeu autorização do TSE para a migração fora da janela partidária por conta da mudança de rumos do Partido Liberal (PL), a que era filiado.

O PL foi o partido que abrigou o presidente da República, Jair Bolsonaro, com quem Marcelo Ramos teve embates públicos.

“Não posso negar que um dos motivos da filiação é a certeza de que não estaremos no palanque do presidente da república (Bolsonaro)”, disse Ramos, que declarou ter escolhido o partido por conta do posicionamento liberal e de centro.

O deputado deve disputar em 2022 como candidato à reeleição ao cargo de deputado federal pelo Amazonas, ao lado de Omar Aziz, que vai disputar pela reeleição como senador.

O evento de filiação de Marcelo Ramos contou com a presença do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e do presidente da sigla, Gilberto Kassab. Segundo o cacique, a filiação de Ramos faz parte de um plano do partido para aumentar o tamanho da bancada na Câmara dos Deputados. “Queremos crescer nossa bancada numericamente e em qualidade e, com isso, estarmos preparados para termos um extraordinário resultado na eleição para deputado federal”, disse.

Com a mudança de Marcelo Ramos, agora tanto a presidência como a vice-presidência do Congresso Nacional são controladas por parlamentares do PSD.


Autor

  • Jornalista brasiliense formado pela Universidade de Brasília (UnB). Tem passagem como repórter pelo Correio Braziliense, Rádio CBN e Brasil61.com. No site O Brasilianista cobre economia e política.