Arko responde: voto impresso passa?
Foto: Elza Fiúza/ABr

Podemos, Cidadania e PSDB negociam entre si alianças para tentar quebrar a polarização entre Lula e Bolsonaro. Contudo, os partidos ainda avançam em discussões individualizadas. Na noite de segunda-feira (31/1) a executiva do partido de Sergio Moro, o Podemos, autorizou que seja iniciada a discussão para a formação de uma federação com o Cidadania, partido do pré-candidato Alessandro Vieira.

“Com o objetivo de unir a terceira via e fortalecer a construção de um projeto sólido e plural de Brasil, a Executiva Nacional do Podemos decidiu autorizar a ampla discussão com o Cidadania para a formação de federação nas eleições de 2022”, diz a nota divulgada pela sigla.

O próprio Cidadania já havia aprovado que uma federação fosse negociada, mas ainda não definiu com qual outra sigla deve dar prosseguimento da discussão. Nesta terça-feira (01), o partido se reúne para discutir os termos da união e analisar as possibilidades.
“O partido está muito dividido, não é fácil ajustar os palanques regionais, pois não estamos falando só de 2022, mas de quatro anos”, destacou o senador Alessandro Vieira.

O senador Izalci Lucas (DF), líder do PSDB no Senado, defende que é possível que a federação partidária entre Podemos, Cidadania e PSDB saia do papel.

“Tudo é possível. Trabalhamos com a intenção de quebrar essa polarização entre Lula (PT) e Bolsonaro (PL)”, destacou o senador. A executiva do PSDB se reúne hoje de manhã para tratar de uma possível fusão com o Cidadania.

Já para o pré-candidato do Cidadania, Alessandro Vieira, a união das siglas é um passo importante para quebrar a polarização, mas disse que as discussões estão no início.


Autor