Foto: Divulgação/Diário do Turismo
De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o país ultrapassou a marca de 13 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica.

O dado representa pouco menos do que a capacidade instalada da Usina de Itaipu (14 GW), incluindo grandes  usinas e unidades de pequeno e médio portes instalados em telhados, fachadas e terrenos de casas e empresas.

Pelos números da Absolar, desde 2012 a fonte solar gerou mais de R$ 66,3 bilhões em investimentos, R$ 17,1 bilhões em impostos e mais de 390 mil empregos. E evitou a emissão de 14,7 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Presidente da entidade, Rodrigo Sauaia disse que essa fonte diversifica o suprimento de energia, reduz a pressão sobre as hidrelétricas e evita aumentos na conta de luz: “As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos. Essas duas são as principais responsáveis pelo aumento tarifário.”

A fonte ocupa o quinto lugar na matriz elétrica brasileira. Já ultrapassou a potência instalada de termelétricas movidas a petróleo e outros fósseis (9,1 GW da matriz).

Fim dos subsídios

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, na sexta-feira, o projeto de lei que visa acabar com os subsídios para consumidores que produzem a própria energia. A chamada “geração distribuída” é feita, na maioria dos casos, por painéis solares instalados em casas ou condomínios.

As novas regras abrangem as chamadas “fazendas solares”, que é quando um cliente usa energia solar gerada fora da sua casa ou escritório. Os custos para subsidiar a energia solar serão transferidos para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), fundo setorial que banca diversos programas, caso da tarifa social.

O projeto de lei institui o Programa de Energia Renovável Social, destinado a investimentos na instalação de sistemas fotovoltaicos (para geração de energia solar) e de outras fontes renováveis aos consumidores de baixa renda.