Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com benefícios acima do salário mínimo— de R$ 1.100 até 31 de dezembro de 2021– terão reajuste de 10,16% neste ano. O aumento vale também para benefícios por incapacidade e será aplicado integralmente a todos aqueles que já estavam recebendo seus pagamentos em 1º de janeiro de 2021.

A variação equivale ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) registrado de janeiro a dezembro de 2021, ele mede o impacto da variação de preços para as famílias com renda entre um e cinco salários mínimos. O índice foi divulgado na terça-feira (10/1) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e reajusta também o teto do INSS, que é o valor máximo tanto para os benefícios previdenciários quanto para as contribuições recolhidas à Previdência Social.

Dos atuais R$ 6.443,57, o teto passa a ser de R$ 7.087,22 a partir de 1º de janeiro. Para quem ganha o salário mínimo, o novo valor foi definido em R$ 1.212 por medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em 31 de dezembro de 2021. Segundo o INSS, atualmente, 23.4 milhões de benefícios recebem o pagamento no valor igual ao do salário mínimo. Ao todo, o instituto faz 36 milhões de pagamentos mensalmente.

A variação do piso dos salários e benefícios ficou em 10,18%, um pouco acima dos 10,16% da variação do INPC no ano passado. Apesar do aumento acima do piso, os segurados que ganham o salário mínimo não terão ganho real. Cerca de R$ 2 do valor reajustado referem-se à compensação devida pelo governo no ano passado, quando a inflação ficou superior à prevista


Cliente Arko fica sabendo primeiro

Assine o Arko Private, serviço Arko para pessoa física, e tenha acesso exclusivo a um canal privado de interatividade e alertas em tempo real, além de relatórios, Lives Exclusivas e eventos especiais com figuras notáveis da nossa rede de contatos.